Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

O vulcão Hverfjall

Mäyjo, 14.06.18

Hverfjall é um anel de tufo, vulcão localizado perto da costa oriental do Lago Myvatn, no norte da Islândia.

Ele entrou em erupção em 2500 BP, deixando para trás uma enorme cratera de mais de 1 km de diâmetro. Hverfjall tem apenas 396 m de altura, permitindo que turistas e caminhantes escalem suas encostas e caminhem ao longo da borda da cratera.

Hverfjall_reduced.jpg

65 ° 36'19,3 "N, 16 ° 52'21,1" W

 

Imagem via DigitalGlobe

A Islândia extraterrestre

Mäyjo, 16.06.17

islandia_a

As fotografias desta galeria, da autoria de Ransom Riggs, já têm seis anos. No entanto, não é crível que a Islândia tenha mudado assim tanto para que elas deixem de ser actuais. Ainda assim, a Islândia é um território relativamente novo em relação ao resto do mundo, que ainda está a ser moldado das suas formas primordiais que foram responsáveis pelas paisagens do resto do mundo: o fogo e o gelo.

 

Um exemplo: o glaciar Vatnajokull é reponsável por 10% da massa territorial do país – é tão grande que, tecnicamente, é considerado uma calota polar. Por outro lado, as placas tectónicas americana e europeia encontram-se na Islândia, um país com mais de 130 vulcões.

Habitada apenas durante o século XIX, a Islândia já foi assolada por dezenas de grandes erupções – muitas delas dizimaram a população. Na verdade, a quase todos os minutos do dia há um sismo algures no país.

Sendo uma das nações menos densamente habitadas do mundo – tem apenas 320.000 habitantes, sendo que, destes, três quartos vive na capital, Reykjavic – ela tem uma imensa variação geográfica. Grande parte do país ainda está no seu estado selvage.

Como explica Riggs, o país tem uma paisagem extraterrestre para os cânones terrestres. Foi este retrato que Riggs publicou no Mental Floss em 2011. Este e outros trabalhos de Riggs podem ser vistos no seu site.

 

AS DESCONHECIDAS CASCATAS NATURAIS DA ISLÂNDIA

Mäyjo, 14.02.17

islandia_a

Islândia, uma vez mais 

 

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS PODEM PROVOCAR AUMENTO DAS ERUPÇÕES VULCÂNICAS NA ISLÂNDIA

Mäyjo, 29.12.15

islandia_SAPO

É sabido que o aquecimento global está a provocar o degelo dos glaciares, que por sua vez aumentam o nível da água do mar e, consequentemente, as terras mais baixas vão ficando submersas. Porém, na Islândia está a acontecer um fenómeno inverso.

A ilha está a elevar-se cada vez mais devido às alterações climáticas, com a terra libertada pelo derretimento do gelo a provocar uma elevação de cerca de 3,5 centímetros por ano.

Aparentemente, o fenómeno seria benéfico para os habitantes que ao longo do tempo ficariam com mais território disponível. Mas os cientistas acreditam que a elevação extra pode provocar um aumento da actividade vulcânica – exemplo disso são as três erupções ocorridas nos últimos cinco anos que obrigaram a fechar grande parte do espaço aéreo europeu devido às grandes quantidades de cinzas expelidas.

Numa nova investigação, publicada na revista científica Geophysical Research Letters, cientistas da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, e da Universidade da Islândia descobriram que a crosta terrestre na região da ilha está a aumentar a um ritmo mais rápido na sequência do maior aquecimento sentido nos últimos 30 anos.

Há algum tempo que os investigadores sabem que a terra libertada do peso das camadas de gelo tende a elevar-se. Mas o que os cientistas não anteciparam foi a rapidez com que a crosta terrestre estava a elevar-se na Islândia. “É semelhante a colocar pesos num trampolim. Quando se retira os pesos a tela elástica do trampolim ressalta para a sua forma original”, explica Richard Bennet, geólogo da Universidade do Arizona e autor do estudo, ao Guardian.

O maior ressalto da crosta terrestre deve-se a um aumento do aquecimento do planeta ao longo dos últimos 30 anos. “O que descobrimos é que a elevação está a aumentar. É mais rápida em todos os locais devido à perda acelerada da massa de gelo”, indica o investigador.

A investigação baseou-se em 62 dispositivos GPS que foram colocados por toda a ilha para registarem as alterações de posição. Alguns dos dispositivos estão colocados desde 1995.

A reacção em cadeia do degelo dos glaciares, aumento da crosta vulcânica e actividade vulcânica não é compreendida inteiramente pelos cientistas. Mas uma coisa é certa: à medida que a crosta terrestre se eleva também os materiais das profundezas libertados da pressão do gelo ascendem. “Estes materiais transportam o calor tal como uma bata ta quente à medida que se movem de pressões mais elevadas para pressões menores e encontram condições que promovam o derretimento”, explica Bennet. Estas condições são bastante favoráveis à ocorrência de erupções.

Foto: raudkollur / Creative Commons

A Lagoa Azul da Islândia

Mäyjo, 06.12.15

lagoa-1

A Islândia é um país fascinante em vários aspetos e a sua Lagoa Azul com poderes regenerativos não é exceção. O nome deriva da surpreendente cor azul que apresenta e as águas que a alimentam provêm do escoamento de uma central geotérmica localizada nas redondezas.

Estas águas possuem características regenerativas e funcionam como uma espécie de termas, com temperaturas entre os 37 e 40 graus Celsius durante todo o ano, atraindo milhões de pessoas anualmente, refere o Inhabitat.

O azul luminoso da lagoa deve-se às elevadas concentrações de sílica, algas e minerais. Embora a água em si seja de uma tonalidade branca leitosa, a sílica reflecte a luz solar e as algas adicionam um pouco de pigmento verde. No final, o resultado é um azul luminoso.

Apesar de as outras lagoas geotérmicas da Islândia serem também ricas em minerais, apenas o rácio de minerais encontrado na Lagoa Azul possui características regenerativas, ideais para pessoas com problemas de pele, como os eczemas e a psoríase.

Em plano de fundo da lagoa existe a central geotérmica. Ao aproveitar este tipo de energia para gerar electricidade, a Islândia conseguiu reduzir o consumo de combustíveis fósseis. Em 2011, cerca de 66% da energia produzida na Islândia provinha de recursos geotermais.